texto 1 imagem 2 - Como começar a introdução alimentar?

Primeiramente, a introdução alimentar deve ser entendida como uma fase muito importante e especial tanto para a criança quanto para os pais.

Esta é a hora de descobertas, de evolução e de buscar mais saúde para o seu bebê.

Todavia, para que essa fase seja mais proveitosa e divertida, é muito importante que os pais estejam à vontade e confiantes no seu trabalho de alimentação.

Buscar informação vai fazer de você, pai e mãe, uma pessoa mais confiante para criar rotinas, seguir técnicas e estabelecer suas próprias regras para a introdução alimentar do seu filho.

É fundamental conhecer a nutrição de um bebê, os alimentos bem como as técnicas para que este momento seja prazeroso e proveitoso.

Foi pensando nisso que criamos este artigo para informar você, que está chegando próximo da hora de iniciar a introdução alimentar com o seu bebê e ainda não está seguro quanto a isso.

Vamos aprender?

 

Quando começar a introdução alimentar?

Em primeiro lugar, devemos saber que os alimentos sólidos devem ser introduzidos a partir dos seis meses de idade.
Independentemente de a criança se alimentar de leite materno ou fórmula infantil, não se deve começar a introdução alimentar antes dessa idade, para mais informações leia “Quando começar a introdução alimentar?”.

texto 1 imagem 1 - Como começar a introdução alimentar?
Como começar?

Iniciar é uma das decisões mais difíceis. Primeiramente porque é muito cômodo para os pais o leite materno ou fórmula.

Além disso, o medo sempre assombra na hora de iniciar a introdução alimentar.

Sendo assim, para facilitar a sua trajetória de introdução alimentar, nós resolvemos fazer um passo a passo guiado, que você poderá seguir e obter sucesso na IA do seu filho.

Atenção, leia até o final e descubra exatamente como começar a introdução alimentar.

Basicamente, a sugestão inicial é da inclusão de frutas e, posteriormente, se incluam papas salgadas na rotina.

Isso porquê o sabor do leite materno e da fórmula são adocicados, então, provavelmente seu bebê aceitará mais facilmente as frutas.

Se você quiser realizar o método BLW é só trocar as papas da introdução alimentar pelo alimento em pedaços (Leia: Saiba definitivamente o que é BLW!

1ª semana
Leite materno em livre demanda
+ fruta uma vez por dia.

2ª semana
Leite materno em livre demanda
+ fruta uma vez por dia + papa salgada no almoço

3ª semana
Leite materno em livre demanda
+ fruta de manhã e à tarde
+ papa salgada no almoço e no jantar

Esse guia acima é uma ótima forma de iniciar a introdução alimentar. O que se deve evitar é oferecer sempre o mesmo alimento ou tirar o leite materno ou fórmula de repente.

Lembre-se que tudo durante a introdução alimentar deve ser feito aos poucos, lentamente. A aceitação do seu bebê vem em primeiro lugar.

Variação de paladar na introdução alimentar

Não há regras sobre os tipos de alimentos que devem ser apresentados primeiro, porém como foi dito, normalmente, as crianças preferem os sabores mais adocicados, como os da banana, pera, mandioquinha e abóbora.

Por isso, nossa sugestão é que você opte primeiro pelas frutas mais doces.

É fundamental ressaltarmos que o recomendável é o uso do sal apenas a partir do primeiro ano de idade do bebê, nunca antes.

Mesmo que você opte por usar alimentos que demandam sal na introdução alimentar, tente substituir por temperos caseiros não muito fortes, como cebola, alho e ervas aromáticas (manjericão, cebolinha, salsinha, alecrim entre outros).

Ou seja, abóbora esmagada, purê de mandioquinha, varie seu cardápio para que seu bebê experimente diversos sabores durante a introdução alimentar.

Além disso antes de finalizarmos sobre o paladar precisamos evidenciar o uso do açúcar. Não é recomendado a ingestão de açúcar antes dos dois anos de idade.

Por isso as frutas adocicadas são tão importantes. Eles são naturais e o seu bebê não deixará de ter esta sensação no seu paladar.

Alerta: nunca ofereça mel ao seu bebê, para saber mais leia Mel e o botulismo infantil.

 

texto 1 imagem 3 1024x768 - Como começar a introdução alimentar?

Não desista de oferecer

Agora imagine: “Você deu uma pera, ele cuspiu, você insistiu, ele cuspiu de novo, daí você pensou, ele não deve gostar de pera e nunca mais ofereceu a fruta.”

Evite isso! O maior erro é assumir a derrota e deixar a fruta de lado.

Primeiramente porque é natural que o bebê jogue os alimentos para fora com a língua.

Afinal, ele está imitando o movimento de sucção. Mas mesmo quando ele não quer comer de jeito nenhum, dá para tentar mais.

Os pais devem oferecer os alimentos na introdução alimentar até 15 vezes para que o bebê aprenda a gostar. Se você chegou neste ponto e ele realmente não aceitou, é hora de tentar trocar de fruta.

Apesar disto, lembre-se que a insistência não pode ser feita de qualquer maneira.

O ideal é que se espere alguns dias para tentar novamente o mesmo alimento. Ainda, tente apresentar ele de forma diferente do que a primeira tentativa, seja em corte ou acompanhamento.

As frutas podem ser oferecidas raspadas ou amassadas (nunca batidas ou passadas na peneira).

Leia “Pode ou não bater a papinha no liquidificador?

 

Qual quantidade devo oferecer na introdução alimentar?

Esta também é uma grande dúvida. Por isso, faça porções pequenas e não se desespere. O bebê vai definindo a quantidade de comida que precisa. Ele ainda está descobrindo o mundo da introdução alimentar.

 

O que comer na Papinha salgada?

Separamos algumas dicas de alimentos para a papa principal – que será inicialmente oferecida no almoço e depois no jantar.

Esta alimentação deve ser repleta de nutrientes, confira abaixo as primeiras e principais opções:

Carboidratos: Podem ser grãos (arroz, milho, quinoa) ou raízes (batata, mandioca, inhame).

Legumes: Cenoura, beterraba, abobrinha, quiabo, brócolis, couve-flor.

Verduras: Alface, almeirão, mostarda, espinafre, escarola, agrião, rúcula.

Carne ou ovo:  Você pode usar carne bovina, frango, ovo (cozinhe bem), peixe (cuidado com as espinhas!).

Leguminosas: Pode ser usado: feijão, lentilha, grão-de-bico, ervilha, vagem.

É importantíssimo que os pais se sentem a mesa para comer junto com a criança se possível e sirvam de exemplo para o aprendizado do bebê desde o início.

Desta forma, fica mais fácil, também, identificar mais rapidamente qualquer dificuldade apresentada.

 Ficou alguma dúvida? Deixe um comentário!